Moinhos e Lagares

MOINHOS
 
Há conhecimento que, dentro dos limites da Freguesia, as águas da Ribeira de Antanhol alimentavam, pelo menos, onze moinhos. Uns infelizmente, desapareceram totalmente, e a grande maioria deixou-nos alguns vestígios e só um conservou o seu mecanismo e está em condições de ser recuperado.
 
Passemos á sua descrição:
 
Moinho do Julião: Situado na margem esquerda da ribeira, a uns 100 metros a jusante da Fonte da Figueira.
 
Moinho do Ti Abel: Este moinho está situado a uns 210 metros a jusante do Moinho do Julião Moinho do Roxo: Uns 150 metros para baixo da capela de Santo António, junto á estrada e do lado Sul, situa-se ainda hoje a casa dos Roxos e a presa que alimentava o moinho existente debaixo daquela.
 
Moinho Silva: Uns 300 metros mais para baixo, sempre do lado Sul da estrada de Albergaria ficava este moinho.
 
Moinho do Pisão: Situava-se à entrada do lugar de Albergaria, ao fundo da rua do Pisão, a uns 120 metros da estrada.
 
Moinho do Lente: Estava situado a uns 40 metros a Oeste do Moinho do Pisão, mais precisamente na esquina Sudoeste do cruzamento da rua que vai hoje para o campo de futebol.
 
Moinho da Ribeira: Este Moinho ficava no topo Norte da casa de Fernando Augusto “Cavaloto”, e dele já não restam quaisquer vestígios.
 
Moinho da Ferreirita: Para quem vai do Valongo para a Cegonheira, antes de atravessar a ponte sobre a Ribeira de Antanhol, encontra sobre a esquerda a antiga quinta da Tapada, existindo ai antigamente um moinho de água de que hoje nada resta.
 
Moinho do Roxo: Em frente ao moinho da Ferreirita, do outro lado da estrada, e a uns 150 metros desta, situava-se o Moinho do Roxo.
 
Moinho Dati Viloa: Quando entramos na Rua do Moinho, situada no Lugar de Valongo, seguindo para os Casais, do lado esquerdo fica a casa do José da Silva “policia” e da Idolinda Santos Loureiro, eles são os proprietários de um moinho que dista da sua casa uns 50 metros a Sudoeste.
 
Moinho de Vento: No extremo Nordeste da Freguesia e a uma altitude de cerca de 180 metros, existem as ruínas de um moinho de vento, não se lembrando ninguém do tempo em que aquele moinho trabalhava.
  
LAGARES
Lagar dos Patrícios: Estava situado junto à antiga estrada de Lisboa, no local onde esta atravessa a Ribeira de Antanhol.
 
Lagar da Mata: As ruínas deste lagar encontram-se entre o moinho do Júlio e o moinho do Ti Abel.
 
Lagar do Ferreirita: Situado na antiga Quinta da Tapada, muito próximo da casa de habitação (nº53 da Rua da Escola).
 
Lagar do Caçus: Situado no Valongo, a Poente da casa que o Alcides pratas tem na Rua do Caçus, precisamente no local onde hoje existe um poço, não restando hoje em dia quaisquer vestígios.